Notícia

Vera Academia - 11/05/2018 - Coluna Vera Academia do dia 11.05.2018


Maneiras de envelhecer bem e ser um idoso ativo

O envelhecimento ativo e saudável consiste na busca pela qualidade de vida, por meio de uma alimentação adequada e balanceada, da prática regular de exercícios físicos, convivência social, busca por atividades prazerosas e que diminuam o estresse. Um idoso saudável tem sua autonomia preservada, tanto a independência física como a psíquica. O apoio da família também é essencial para que vivam felizes. Hoje, em todo o mundo, existem cerca de 600 milhões de pessoas com 60 anos ou mais. Número que vai duplicar até 2025 e atingirá praticamente 2 bilhões em 2050, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Aqui no Brasil, as últimas pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a expectativa de vida dos brasileiros subiu para 74 anos. E esses anos extras conquistados com o aumento da expectativa de vida mudaram mais do que a configuração social. Mudaram também o convívio social.  As pessoas se aposentam, param de trabalhar, aí é o momento em que o idoso busca outras atividades, como sair de casa, conhecer pessoas e habilidades novas e evitar ficar sozinho pensando em doença e problemas.  Só envelhece bem aquele idoso que é capaz de manter sua capacidade funcional. E o que corrói a capacidade funcional? É a doença crônica, como hipertensão arterial, diabetes, depressão, que são doenças extremamente prevalentes e que são resultados do estilo de vida. Uma pessoa pode se precaver em relação a essas situações reconhecendo e revendo seu estilo de vida. Claro que, com o passar do tempo, tudo tem de ser feito dentro do limite de cada um, não pode-se e não deve-se exagerar. Para envelhecer bem, é fundamental para o idoso manter-se ativo, física e psicologicamente. Hoje em dia, há uma ampliação de serviços que permitem que eles possam manter o seu corpo em forma com programas diferenciados em academias, o cérebro ativo com cursos direcionados. E traz uma melhora em dois aspectos, um é na autoestima, pois ele vai ter mais assunto para conversar com outras pessoas, entende melhor o que acontece ao seu redor. E o outro é na capacidade cognitiva, com mais atenção, mais memória, pois é muito comum o idoso ter queixas de que não lembra de certos acontecimentos. Uma boa dica para manter a disposição mental é exercitar a memória e o raciocínio com quebra-cabeças, palavras cruzadas, por exemplo. Além disso, ler bons livros, participar de cursos, exercer trabalhos voluntários ou ações que ajudam a aprimorar os talentos. Todo mundo, independente da idade, necessita e sente satisfação em ser útil. Foi-se o tempo em que os vovôs e vovós se distraiam jogando dominó na praça ou fazendo mantas de tricô e outros trabalhos manuais. Hoje em dia esse comportamento mudou. Muitos deles, agora, são adeptos das novas tecnologias. E a cada dia que passa cresce o número de brasileiros com mais de cinquenta conectados à internet. Outra forma de estabelecer contato com outras pessoas, evitando o isolamento e a depressão é buscar sempre atividades novas, e pode ser sim com outras pessoas idosas. O convívio com outros idosos é importante para perceber que elas também passam pelos problemas, mas que buscam soluções diferentes e que podem servir para a sua vida. É fundamental afastar de si a ociosidade. Falta de ocupação é origem de muitos males e doenças. Chegar à velhice, não significa que vá ser parada, sedentária ou até mesmo sem graça. São muitas as formas para garantir o bem-estar e a alegria de viver. Basta que cada um encontre a sua.  Além disso, para ter um envelhecimento saudável é preciso começar desde já! 

 

Postado: Leila Ruver
Vídeos

Primeiro sorteio Show de Prêmios ACI 2018




Entrega recursos da ADRA para famílias atingidas pelo temporal




Quinta-Feira - 01/11/2018 Abertura temporada de verão 2018-2019 do CAD

Sábado - 17/11/2018 Baile da cuca e linguiça Escolinha Rubro-Negra

Local: CESIC Animação: Felicio e Banda. Fichas a venda R$ 40,00 o casal